Selecione seu estilo

Escolha seu layout

Esquema de cores

13770421_518572358328556_3977713298064711280_n

Adequadores posturais de baixo custo desenvolvidos por quem tem fome de ajudar

Alguém ainda duvida que tudo conspira a favor quando algo bonito precisa acontecer? Sim? Então venha conhecer essa história!

Em 2005, a fisioterapeuta Dafne Herrero trabalhava como voluntária na Laramara – Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual, quando conheceu a terapeuta ocupacional Ayola Cuesta que lhe fez uma proposta irrecusável: Ayola lhe ensinaria a confeccionar adequadores posturais de baixo custo, porém Dafne deveria passar esse conhecimento adiante – além de beneficiar seus pacientes com tal presente, ela estaria disposta a capacitar outros profissionais e cuidadores, gratuitamente, assim como aprendeu. E Dafne não só topou como mergulhou na ideia!

Começou a guardar dinheiro para comprar a primeira remessa de materiais, enquanto continuava com seus atendimentos. Na época ela atendia duas irmãs que, satisfeitas com os resultados obtidos indicaram a profissional para o avô que precisava realizar tratamento de fisioterapia. Bastante empolgada com o projeto que pretendia iniciar, Dafne dividiu com esse paciente todas as suas expectativas. O que ela nem imaginava era que ele era dono de uma empresa que fabricava chapas de papelão – matéria-prima principal para a confecção dos adequadores.

Encantado com o projeto e, após verificar a seriedade do mesmo, esse senhor se ofereceu para ser seu principal fornecedor, ou melhor, doador. Isso mesmo! Ele se ofereceu para doar as chapas de papelão enquanto sua empresa existisse. E a empresa continua lá, firme e forte (Fernandez Indústria de Papel – Amparo/SP) e a sementinha ganhou forma, nome e autonomia.

O Projeto atualmente se chama “Fome de Ajudar” e, em 11 anos, presentou 153 crianças com os adequadores e realizou diversas palestras e oficinas para disseminar seus preceitos. O grupo segue movido pelo desejo irrestrito de colaborar, através de atos comunitários de doação, material ou não, em prol da primeira infância e da construção de memórias lindas e divertidas em um momento tão crucial para o pleno desenvolvimento.

Vale ressaltar que alguns adequadores são devolvidos em excelente estado, após o tempo necessário de uso, e logo partem para um novo lar e uma nova aventura se inicia, então são muitos os alcançados por esse trabalho.

São dois tipos de adequadores confeccionados: a cadeira e o parapodium, ambos desenvolvidos para crianças que necessitam de adequação postural, ou seja, algum auxílio para se manterem em pé ou sentada. Eles podem ser utilizados tanto em casa quanto na escola, nos momentos de interação, durante a realização das atividades de vida diária, nas brincadeiras e por aí vai.

Cadeira de adequação postural

Cadeira de adequação postural

A cadeira não apresenta contra-indicação, já o parapodium costuma ser indicado após uma avaliação de um profissional da saúde, com o intuito de evitar luxação de quadril ou outros danos.

Parapodium

Parapodium

Os materiais utilizados para a confecção da cadeira são: papelão, espaguete de piscina e cabo de vassoura para o abdutor (que mantém os membros inferiores afastados e impede que a criança escorregue), régua, tesoura, serra tico-tico, mistura densa branca, utilizada como fundo (metade látex/metade cola branca) e esmalte sintético (não o solúvel em água) para facilitar a higienização, além de conferir impermeabilidade ao objeto e, consequentemente, maior durabilidade. Os mesmos materiais são utilizados para a confecção do parapodium, com exceção do espaguete de piscina e do cabo de vassoura, uma vez que não há a necessidade de abdutor.

Os adequadores posturais de baixo custo

Os adequadores posturais de baixo custo

As oficinas são realizadas nas instituições que têm demanda e solicitam esse aprendizado ou no salão de festas do prédio da Dafne, quando surgem diversos pedidos e qualquer ajuda é bem-vinda, ou seja, não precisa ser da área da saúde para aprender a desenvolver tais aparatos. Quando junto com a oficina é solicitado, também, um curso teórico sobre o desenvolvimento infantil, é cobrado um valor simbólico utilizado para custear os materiais e viabilizar as doações para as crianças.

Durante a oficina

Durante a oficina

 

Finalizando os adequadores

Finalizando os adequadores

Os benefícios revelam-se aos poucos. Revelam-se, pois não são impostos, conquistados com discursos que tentam convencer, vender algo. As pessoas do grupo preconizam a ação e o que advém dela. Uma criança já com seus 5 anos de idade, sem controle postural que anteriormente assistia aula, mal posicionada em um carrinho de bebê desconfortável, recebe um novo olhar, dos que estão partilhando deste mesmo ambiente, quando muda para a cadeira. Ela passa a fazer parte da sala de aula e, consequentemente, o professor terá que rever sua conduta em relação a ela. Ela torna-se perceptível às outras crianças, que se quer registravam a sua presença. Ela ganha maior controle para desenvolver as atividades. Ela ganha maior autonomia. Ela melhora sua consciência corporal e autoimagem. Ela torna-se mais confiante e com melhor autoestima. O mesmo acontece em casa. A nova postura permite melhor interação com as pessoas e o meio, descortinando, desse modo, novas possibilidades de conquistas.

Os primeiros três anos são fundamentais para o desenvolvimento. Os adequadores posturais cuidam para que mais experiências possam ser vivenciadas nesse período, garantindo a aquisição de novas habilidades dentro do contexto e capacidade individual. Claro que crianças mais velhas também podem usar os adequadores, porém quanto mais cedo atentarmos para as necessidades infantis, melhores serão os desempenhos futuros.

Lindo projeto, não?! Mas, não pára por aí!

A Dafne também faz parte do IPA Brasil –  Associação Brasileira Pelo Direito de Brincar e à Cultura, filiada à International Play Association (IPA World) cuja missão é criar meios de promoção, proteção e preservação do brincar e do livre acesso à cultura e ao lazer.

O IPA Brasil oferece cursos de capacitação para adultos de qualquer área que trabalhem direta ou indiretamente com crianças e adolescentes para que possam oferecer oportunidades lúdicas qualificadas, sempre priorizando a demanda espontânea, ou seja, o livre brincar. Os adultos capacitados passam a ser chamados de Agentes do Brincar ou Mediadores do Brincar ou, ainda, Agentes do Brincar Inclusivo.

A partir daí muita coisa pode ser realizada: organizações de eventos públicos que ofereçam a oportunidade de brincar livremente; organização de workshops, seminários e palestras sobre a importância do brincar; consultorias para organizações com o intuito de desenvolver programas que contemplem o brincar; promoção de ações em hospitais, centros de saúde, brinquedotecas; entre outros.

Ah! Tudo gratuito, heim?! Só para lembrar…

Para conhecer melhor o Projeto Fome de Ajudar acesse a página no Facebook.

E para conhecer um pouco mais do IPA Brasil, acesse o site.

Participe ou ajude a divulgar esses Projetos tão lindos! Alguém, com certeza, poderá se beneficiar deles!

Deve haver, ainda, muita coisa boa reservada para essa galera do bem! Duvidam? Eu não!

7 Comentários

  • Conheço a Dafne e sua enorme fome em ajudar há muitos anos e não canso de me emocionar com esse trabalho que ela faz!!! Aplaudo em pé e na primeira fila!! ❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️❤️

  • Parabéns, Dafne! É de pessoas como você que o mundo precisa. Deus te dê sempre forças e condições para continuar este lindo trabalho.

  • Boa tarde vi e me interessei muito , minha filha portadora de uma síndrome rara Wolf hisrthornne e consegui escola especializada para ela , como faço para conseguir um adequador posturas pra ela ?! Me chamo Cris minha filha Ayumi tem 18kg e 98cm altura fará 7 anos em Dezembro . Somos de São Paulo , capital zona leste Vila Prudente.
    Desde já parabéns por seus lindos trabalhos solidários , o que muitas mães como eu precisamos de pessoas do bem dispostas fazer o bem o melhor para s qualidade de vida melhor para nossos filhos . Deus abençoe este lindo projeto e espero retorno , quem sabe conseguimos ganhar para minha filha .

    • Olá, Cris! Para maiores informações, acesse a página do “Fome de Ajudar” no facebook (tem o link no post) e envie uma mensagem para a Dafne! Ela saberá lhe orientar melhor! beijos para você e para sua filha!

  • Boa noite eu sou a norma mãe da Maria vitória ela tem 4 anos ela tem síndrome down e paralisia cerebral ela é cederante pó favor eu preciso de ajuda ela faz fesoterapia na UNASP e afisoterapeuta dela tero as medidas dela do parapo dem eu não tenho condições de compra pois eu não trabalho e pago aluguel e tá muito difícil nós precisamos de ajuda por favor obrigada desde já

Conta para mim!

Topo